23.5.15

Resenha: O Rei do Inverno - Bernard Cornwell

Postado por: Stefanie



  Às vezes me sinto abençoada pelo Deus da Literatura. Porque cada vez mais encontro livros que, ao fim, só me fazem pensar:
  “Por que não li isso antes, meu Deus?!”
  Um dos meus mais novos queridinhos é o primeiro da trilogia das Crônicas do Rei Artur. Este foi escrito pelo incrível Bernard Cornwell, com uma maestria que muitas vezes me deixou sem ar. Tudo bem que, tratando-se de mim, é meio muito previsível totalmente me apaixonar por tal temática, até porque quem me conhece sabe que eu sou louca de marredeci pelo Arthur, pela Morgana...
  Olha, só de lembrar já me arrepio inteira.


  Mas voltando ao que interessa... No primeiro volume dessa trilogia, nos é apresentado os personagens, o ambiente, e todos os conflitos presentes na trama. Aquele must have de todo primeiro livro de trilogia, série, e por aí vai. O que trouxe, inclusive, muitas críticas de diversas pessoas que acharam essa primeira parte um tanto quanto cansativa demais; porém, para mim, não me lembro de ter cansado em nenhum momento. Pelo contrário, com o passar de cada página, ficava ainda mais empolgada com a leitura.


  Sendo bem sincera, apesar de ser suspeita para analisar algo que diz respeito ao Rei Artur, não tenho do que reclamar. Não teve um momento sequer do livro que me deu vontade de negativamente criticar, muito menos por uma experiência quase que tocável que se encontra por entre as linhas, já que o autor visivelmente se preparou, e muito, para escrever o romance.
  “O Rei do Inverno” é visivelmente bem desenvolvido, original em suas possibilidades e cativante. É um livro que nos apresenta alguns dos personagens de um modo diferente daquele que estamos acostumados, mas não chega a incomodar. Ao invés disso, me vi ainda mais curiosa por novas construções de personalidade, até mesmo com Lancelot, que me arrancou sanidade em “Brumas de Avalon”. Agora?   É só mais um panaca que eu gostaria de cortar a garganta pessoalmente.


  Caso você esteja buscando por uma leitura mais tradicional de tal história, aconselho buscar outro livro ou ter noção de que este é diferente de tudo o que provavelmente você já leu sobre o Rei Artur. Inclusive, trata-se de uma escrita mais bruta, que nos leva de corpo e alma para o centro da batalha, sem que haja algum tipo de filtro ou censura. Aqui vamos encontrar todos com suas qualidades e principalmente defeitos, nus e descarados, como todo ser humano, nem que seja no fundo, é.
  Atenção para a qualidade de descrição, e para a maestria na escolha das palavras que faz até a poeira ser interessante. Atenção para os detalhes, para os enlaces, para a maneira com que tudo se entrelaça, roubando-lhe o tempo em um piscar de olhos.
  Mais uma vez, apesar de suspeita, o primeiro volume da trilogia é incrível. Indiscutivelmente incrível. Intenso em sua totalidade, rico em sua qualidade, e primordial para aqueles que gostam do Rei Artur ou somente ama uma boa e velha literatura com caráter medieval.
  Quem não gosta de uma boa novela de cavalaria?


  Mais do que recomendo a leitura que até em lembranças me arranca arrepios, ao ponto de deixar saudade e aquele gostinho de quero mais quando se alcança a última página.
  O que somente alivia um pouco, só um pouquinho, quando me lembro de que tem mais dois ali na estante me esperando.




Título: O Rei do Inverno
Série: As Crônicas de Artur
Autor: Bernard Cornwell
Páginas: 537
Editora: Record
Nota: ★★★★★♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Design e Desenvolvimento por